Hérnia de disco: entenda os sintomas e saiba como tratar

Retorno gradual do atendimento presencial nas Agências da Previdência Social (INSS) retorna no dia 03 de agosto
20 de julho de 2020
Reunião CNPS sugere novas regras para o consignado de beneficiários do INSS
20 de julho de 2020
Exibir tudo

Hérnia de disco: entenda os sintomas e saiba como tratar

A hérnia cervical, mais popularmente conhecida como “hérnia de disco”, nada mais é do que o resultado do deslocamento de um dos discos intervertebrais da coluna. Estes discos servem como amortecedores de impacto que evitam o contato direto e doloroso entre as vertebras. A hérnia acontece quando algum disco é fissurado ou desgastado, permitindo que um líquido gelatinoso que está mantido no seu centro escape para fora irritando e inflamando a medula espinhal ou as raízes nervosas que se ramificam ao longo de toda a coluna.

E é exatamente quando um deles sai do eixo, comprimindo os nervos da região, que acontecem as dores, a perda de sensibilidade e, até mesmo, a sensação de formigamento. Em grande parte, o transtorno aparece na parte inferior das costas e irradia para pernas e pés. Mas também pode ter foco no pescoço, onde toda a região cervical acaba sofrendo junto.

A localização mais comum da hérnia de disco lombar é no disco que fica entre a quarta e quinta vértebra lombar (L4/L5) e no disco que fica entre a quinta vértebra e o sacro (L5/S1).

 

Como identificar a doença?

Os sintomas variam entre dores súbitas que podem irradiar para outras partes do corpo, podendo durar pouco tempo, ou estender por longas crises que parecem não acabar nunca.

E essa “dor chata” parece piorar na hora de dormir. Na verdade, isso acontece porque nesse momento o corpo fica relaxado e os discos se reidratam, aumentando o seu volume, e consequentemente comprimem as raízes nervosas.

Outros principais sintomas:

  • Dor nas costas há mais de três meses;
  • Dor que piora ao ficar em pé com a perna estendida;
  • Bastante dificuldade para ficar sentado por mais de 10 minutos;
  • Redução de força em uma das pernas ou nas duas;
  • Impossibilidade de ficar de ponta de pé com uma das pernas;
  • Dor, formigamento ou dormência nos membros;
  • Dificuldades extremas para segurar a urina;
  • Redução do rendimento e desânimo para a realização de atividades rotineiras;
  • Dores de cabeça associadas a dores na região da nuca e que se prolongam para os ombros;
  • Dificuldades para se locomover ou levantar algum objeto.

Para diagnóstico correto é necessária uma avalição clínica e radiológica do paciente. A raiz nervosa atingida pode ser confirmada pelos exames de raios-x, tomografia computadorizada ou ressonância magnética.

A ressonância magnética é o exame mais indicado para o diagnóstico correto da doença, pois fornece ao médico informações valiosas a respeito da localização da hérnia, grau de degeneração e as estruturas envolvidas, permitindo assim um tratamento específico direcionado para cada caso

 

O que causa?

Embora possa se formar pela má postura, outros fatores como movimentos e atividades repetitivas, sedentarismo, excesso de atividade física de alto impacto, sobrecarga e a própria degeneração discal natural pela idade também podem ocasionar o problema.

À medida que envelhecemos, os discos em nossas colunas podem perder sua flexibilidade e elasticidade. Os ligamentos em torno dos discos se tornam frágeis e rompem com maior facilidade. A hérnia de disco, também pode ser causada por atividades repetitivas ou algum ferimento causado à coluna.

Outros fatores relevantes:

  • Fatores hereditários;
  • Traumas diretos ou de repetição;
  • Fumo;
  • Idade avançada (também é motivo de lesões degenerativas);
  • Sedentarismo (é um fator determinante para dores nas costas);
  • Posição de ficar em pé ou sentado por muito tempo, principalmente no trabalho;
  • Movimentos repetitivos em casa ou no trabalho;
  • Trabalho que provoca vibrações no corpo;
  • Trabalhar dirigindo;
  • Fatores psicológicos e psicossociais.

 

Como tratar?

A hérnia de disco não tem uma cura, mas iniciado o tratamento há uma melhora da dor, e as pessoas conseguem voltar e ter uma vida normal na maioria das vezes.

É preciso uma manutenção de novos hábitos ao longo da vida para evitar recidivas.  No entanto, é bom deixar claro que o repouso e os medicamentos não devolvem a funcionalidade nem fortalecem os músculos que ficaram fracos com a doença. E é por isso, que as dores podem ser tão recorrentes.

O importante é distribuir o peso do corpo de forma equilibrada, e não sobrecarregar apenas uma parte do corpo e praticar exercícios com um profissional especializado.

 

Curiosidades sobre a doença

  • 95% das pessoas que sofrem com a hérnia de disco tratam com métodos não invasivos, e por isso, não precisam realizar cirurgia na coluna vertebral
  • 15% da população mundial sofre com a hérnia de disco.
  • 70% da população brasileira com mais de 40 anos sofre de algum tipo de problema na coluna.
  • Éa 3ª causa de aposentadoria precoce
  • Mais de 6 milhões de brasileiros sofrem com a doença e é a 2ª maior causa de afastamento do trabalho, ficando atrás apenas das doenças cardíacas.
  • Pessoas com faixa etária de 25-45 anos apresentam o maior índice de casos de hérnia de disco.

 

Precisando contratar um consignado?

Nós da CredExpress Empréstimos somos correspondentes bancários de diversas instituições financeiras que operam com o crédito consignado para diversos órgãos do país.

Nós podemos te ajudar a contratar seu crédito consignado de maneira fácil, segura e 100% online.

Compare agora com nossos especialistas as propostas de empréstimo de diferentes bancos e escolha a que é melhor para você.

Simular meu consignado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *