Efeito do coronavírus nos empréstimos e soluções financeiras

Meu INSS: o guia completo [2020]
11 de março de 2020
Já está valendo o aumento de 5% da margem para beneficiários do INSS?
29 de maio de 2020
Exibir tudo

Efeito do coronavírus nos empréstimos e soluções financeiras

Mesmo em época de COVID-19, a maioria das contas não param. As conhecidas contas fixas de todo mês: energia e água, aluguel da casa, financiamento do carro e escola das crianças. Somado as contas, empresas do país todo aumentam o número de desligamentos e como consequência de tudo isso, fica mais difícil honrar com os compromissos financeiros.

 

E é verdade que esse não têm sido um período muito fácil para ninguém. Por isso, com a ajuda também do Governo Federal, bancos e instituições financeiras têm buscado soluções para reduzir os impactos na vida financeira de seus clientes. Uma série de benefícios está sendo promovida por eles para ajudar o consumidor a aguentar firme esses tempos tão caóticos e nunca antes vividos por essa geração.

 

Se você é pessoa física: aposentado e pensionista do INSS, servidor público ou é assalariado, esse texto busca lhe manter informado sobre algumas atitudes promovidas pelas instituições e bancos do país com o intuito de amenizar e flexibilizar a vida de todos em época de pandemia.

 

Ampliação do crédito e suspensão de pagamentos

E isso foi possível pois grandes Bancos decidiram renegociar as dívidas e prorrogar o pagamento de algumas de suas linhas de empréstimo, sobretudo para quem é pessoa física e correntista destes Bancos. Como sustentação desse “buraco” no caixa das instituições financeiras, o Governo Federal através do Banco Central do Brasil anunciou a injeção de R$68 milhões na economia, reduzindo a alíquota dos depósitos compulsórios e ampliando as oportunidades de crédito para os Bancos.

 

Pagamentos de crédito imobiliário e financiamento de veículos tiveram seus pagamentos suspensos durante 60 dias na maioria das financeiras do país. Também o início da data de vencimento dos novos empréstimos contraídos durante a pandemia tem sido estendido. Em alguns casos, como nas modalidades de pagamento via carnê, esse vencimento pode chegar a até 100 dias.

 

Aposentados e Pensionistas do INSS que em sua grande maioria é composto pelo grupo de risco da COVID-19 ganharam novo fôlego para pagar seus empréstimos consignados. Isso porque a partir de agora o prazo máximo para as contratações foi alongado em 12 meses. O que antes era contratado em no máximo 72x, agora poderá ser feito em prazo maior de 84x. Além disso, a taxa teto máxima foi reduzida para 1,8% ao mês, o que representa uma queda de 0,24 pontos percentuais mensais. Com isso, o aposentado e pensionista do INSS consegue dinheiro com parcelas ainda menores e que cada dia cabem ainda mais no bolso.

 

O cartão de crédito consignado para aposentados e pensionistas do INSS também teve sua taxa máxima do prazo rotativo reduzida. O novo teto passa a ser 2,7% ao mês. Além de ter uma das menores taxas de rotativo do país, o cartão consignado para beneficiários do INSS não tem anuidade e nem consulta ao SPC/Serasa. Seu limite de crédito também pode ser transformado em dinheiro, o que auxilia muito no pagamento das contas em épocas como as atuais.

 

Vale lembrar também que o Governo abriu mão da cobrança do IOF – Imposto sobre operações financeiras. Assim, sem a cobrança deste imposto, estimula a contratação de empréstimo pois ele está ainda mais barato, e também aumenta os esforços para o aquecimento da economia do país.

 

Bancos e Instituições financeiras aceleram o ritmo das suas plataformas digitais. E quase tudo está sendo possível ser resolvida pela tela do celular. Os empréstimos também já são realidade no mundo virtual, e podem ser contratados diretamente em aplicativos ou pelas redes sociais como o WhatsApp dos Correspondentes Bancários ou Bancos. A tecnologia envolvida nessas operações é totalmente segura e sustentada por um banco de dados gigantesco com reconhecimento facial embutido e cruzamento de diversas informações. A fraude dessas operações de crédito diminui a cada dia possibilitando o acesso ao crédito e a condições de taxa cada dia melhores.

 

Tais medidas injetaram desde o início da pandemia R$266 bilhões em créditos, parcelas suspensas, renovações e contratações segundo informações publicadas pela Febraban. Um aumento de 22% nos empréstimos em geral para pessoas físicas.

 

Lembre-se sempre de se informar com o local aonde contraiu seus empréstimos para saber quais as ações estão sendo promovidas para não agravar a sua situação financeira neste momento.

 

Próximos investimentos

Esta em votação na Câmara um aumento da margem consignável para empréstimo consignável aos aposentados e pensionistas do INSS. Se aprovado, acrescentará um aumento de 5% do limite máximo para ocupar de empréstimos consignados em seus benefícios. Este limite hoje é de 30% para contratação de crédito consignado e 5% exclusivos para cartão de crédito consignado, totalizando 35% no total. Com a aprovação, o limite totalizaria 40%, sendo 35% para empréstimo e 5% para o cartão.

 

Também está sendo discutido uma suspensão dos descontos dos empréstimos consignados em folha de aposentados e pensionistas do INSS e servidores públicos aposentados. Como sabemos, grande parte deste público é idoso, e tem maiores complicações com a COVID-19, uma suspensão temporária destes descontos, auxiliaria estes milhares de brasileiros a terem um fôlego a mais em seus rendimentos mensais e um dinheiro extra para situações emergenciais.

 

Vale a pena conversar com seu agente de crédito e entender melhor quais as soluções disponíveis para que todos nós vençamos a crise mantendo não só nossa saúde física e mental, mas também a financeira vencedora.

 

Fique em casa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *